terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

Viagem ao Nepal na UFJF




     Uma das mais idealizadas viagens pelo mundo é visitar a belíssima região da Cordilheira do Himalaia, que atravessa países e regiões como o Tibete, o Nepal, o Sikkim (na Índia) e o Butão. Muito procurada por montanhistas e exploradores, inclusive para as famosas escaladas do Monte Everest, o ponto culminante do planeta, também gostam de ir para lá pessoas interessadas nos aspectos da cultura e religiões locais, assim como turistas ecológicos ou de aventura de modo geral (natureza, trekking, etc.).

     A região já foi cantada e apresentada em muitos meios, como livros, documentários, quadrinhos, etc., como o livro do austríaco Heinrich Harrer, depois transformado em filme de Jean-Jacques Annaud com Brad Pitt, "Sete anos no Tibet", ou o álbum "Tintim no Tibet", uma das aventuras de Tintim (na qual comparece, inclusive, o Yeti), quadrinhos do belga Hergé, agora em filme de Steven Spielberg.

Os tais dos Yaks
     Deu água na boca, mas não está sendo possível fazer esta viagem agora? OK, a alternativa mais próxima disso, aqui em Juiz de Fora mesmo, é visitar a exposição “Entre Yaks e Yetis”, em cartaz na Reitoria da Universidade.

     O professor José Murillo B. Netto, do Departamento Materno Infantil da Faculdade de Medicina da UFJF, fez a grande viagem ao Nepal em março e abril de 2011, e a UFJF oferece, agora, uma exposição fotográfica muito interessante com seus registros.






     O total de 23 dias de viagem, em um roteiro organizado por uma agência americana, incluiu 12 dias de caminhada (cerca de 150 km) até o acampamento base do Everest, a mais de 5000 m de altitude, e visitas a outros lugares, como Kathmandu, a capital do Nepal.



-----------------------------
Espetáculo para poucos na vida:
a primeira visão do Everest!



     José Murillo fez mais de mil fotos usando sua Nikon D5000. Como muitos viajantes fotógrafos, ficando sempre para trás - para fotografar! E juntando boas histórias, como aquela de quando foi fotografar uma tumba e levou uma corrida de um macaco!


-----------------------------
Andando de requichá pelas ruas de Kathmandu. Detalhe: o formato único da bandeira do Nepal




     Agora, algumas dezenas destas fotos compõem a exposição - muito bem apresentada, por sinal -, com produção do fotógrafo da UFJF Alexandre Dornelas, com blocos temáticos (montanhas, pessoas, Kathmandu, etc.) e painéis com grandes ampliações. Resultado bem interessante, merecendo elogio a iniciativa da UFJF. Dentre tantas, apresentamos uma pequena amostra - ou uma verdadeira degustação - a seguir.

Pequeno Buda



Bebendo da fonte



A Benção




Blog


      Viajante do século XXI é outro departamento. José Murillo escreveu um blog durante a viagem, "Zeca no Everest", como muita gente faz atualmente. O interessante é que mesmo no topo do mundo havia conexão. "Em certos casos, péssima, mas tinha!" Como, José Murillo não sabe, imaginamos que talvez fosse por satélite, fornecida pela própria organização da expedição. No início, era para dar notícias para a família e os amigos. De volta, Zeca incluiu suas fotos, então a leitura atual do blog é muito atraente. Na verdade, quase qualquer coisa que se pense em perguntar sobre a viagem está respondida ali! Tem casos, observações locais, mapa, etc. E muitas fotos, naturalmente!


Recebendo a benção de Cerinr Lama para a viagem


Dicas de José Murillo:

 “A região das montanhas é fantástica, surpreende pela grandiosidade e beleza. Já a capital é caótica, é uma mistura de tudo o que se pode imaginar. Mas o mais marcante nesses dois locais é a diversidade cultural e, principalmente, religiosa. As presenças do hinduísmo e do budismo são fortes por lá.”

"A época ideal para a viagem é a primavera (lá), depois vem o período de monções. Em outubro há uma segunda janela de oportunidade. "



      A exposição? Recomendada! Visitá-la já é quase uma viagem! OK, OK, mas e o tal do Yeti? Bom, que tal ir ver a exposição e saber? :-)



----------------------------------------------------------

No Saguão da Reitoria da UFJF
No Campus da UFJF
Abertura em 21 de dezembro, reabertura em 3 de janeiro e sem previsão de término
Segunda a sexta-feira, de 8h às 18h
R. José Lourenço Kelmer, s/n (Martelos)