terça-feira, 30 de outubro de 2012

2 x Albano = 2 x Aratanha


                            Ricardo DeAratanha /  Los Angeles Times


      Pois é, hoje tem palestra com dois dos Albanos. Ou, mais precisamente, dois dos Aratanha.

     "Caminhos atuais para o fotojornalismo" é o título da palestra que Ricardo DeAratanha (staff do LA Times) e Mario de Aratanha (jornalista, ex - JB e Associated Press) irão ministrar no Espaço Cultural  Correios.

     Divulgamos algumas notícias abaixo. Havia necessidade de inscrição prévia, mas os lugares rapidamente se esgotaram. Segundo o blog 6x Albano, há mais de cem inscritos!

     Enquanto isso... Mais informações da curadora do evento sobre os Aratanha.


Ps: E o Barão?

     Barão de Aratanha. Muitos conhecem apenas como nome de uma rua famosa no centro de Fortaleza. Mas o homem de título nobre foi uma figura bastante importante na cidade no século XIX.  Passou a ser o “Barão de Aratanha” em 1887 por decreto imperial,  nome este que se refere à Serra de Aratanha (ara= jandaia; tanha= bico), da qual o barão era herdeiro de terras. Militar, cuja patente era de Coronel da Guarda Nacional, foi comerciante  rico. Tinha um armazém em Fortaleza, a “Loja do Povo” . Católico, deixou um legado de caridade. Foi considerado um dos mais zelosos protetores do tradicional Colégio da Imaculada Conceição e da Santa Casa de Misericórdia, ambos de Fortaleza.

     O Barão é onde tudo começou. Teve dois filhos, os quais, por sua vez, tiveram outros três, gerando entre eles os fotógrafos José Albano e Maurício Albano, bisnetos. Já da quarta geração, nasceram os trinetos e também fotógrafos Mario, Ricardo, Fernando de Aratanha e Ciro Albano. E por continuar a saga, as tetranetas Camilla Albano e Rita Albano também vivem da fotografia.

     Além de deixar fotógrafos de herança, pesquisadores relatam que um filho adotivo seu foi quem inventou a cajuína. Não se sabe ao certo se isso é verdade. O fato é que seu legado está mais presente do que nunca na exposição 6xALBANO, onde cada fotógrafo carrega na genética o amor pelo que faz e onde a natureza está sempre presente, como no modo de vida ecologicamente que o José Albano optou por levar, ou na contribuição inestimável dos registros e preservação de aves raras  através das lentes de Ciro Albano.



---------------------------------------------------------

6x ALBANO +3
No Espaço Cultural Correios Juiz de Fora
Agência Central dos Correios
27 de outubro a 8 de dezembro
Segunda a sexta-feira das 10 h às 18 h, sábados de 10 h às 14 h
R. Marechal Deodoro, 470 (Centro)
Visitas guiadas para grupos e escolas podem ser agendadas.
(32) 3690-5715 / 5736