quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Expo Antanas Sutkus no MAMM abre em uma hora




The Mother's Hand (A Mão da Mãe), 1966


     O Museu de Arte Moderna Murilo Mendes, da UFJF, tem mantido extraordinária programação, mas isto não é novidade. O que vale um registro especial é notar que tem incluído várias exposições fotográficas. Para mencionar apenas duas, tivemos a de Hans Eijkelboom e a de Ozias Filho.

     E agora, a de Antanas Sutkus é mais uma exposição de um nome da fotografia mundial que o MAMM apresenta. Que venham muitas mais!

     A exposição começou pelo Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba, e já passou por centro culturais de outras cidades como Salvador, Fortaleza, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, e o próprio fotógrafo esteve presente em algumas delas.

     Para apresentar a exposição, publicamos a seguir texto da UFJF, com agradecimentos à SECOM.



     A beleza e a força do cotidiano podem ser admiradas na exposição “Antanas Sutkus: um olhar livre”. São cerca de cem trabalhos do artista lituano que é considerado um dos maiores fotógrafos vivos. A abertura está marcada para esta quinta, 3, às 20h, no Museu de Arte Murilo Mendes, onde fica em cartaz até 3 de novembro. O horário de visitação é de segunda a sexta, das 9h às 18h e aos sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h. 


Cotidiano
     A maioria das fotos registra momentos corriqueiros do povo lituano: pessoas saindo da igreja, crianças brincando, camponeses na lavoura, trabalhadores urbanos, pais com seus filhos. No texto que compõe a exposição o autor indaga o público: “Será que a observação do dia a dia é uma forma de meditação aberta para todos nós? Será que eu sei viver o aqui e o agora? Será que percebo quão poderoso o tempo é?”

     De acordo o curador da mostra, Luiz Gustavo Carvalho, o diferencial do trabalho de Sutkus é o poder de capturar o estado de alma dos modelos. “Escapando da censura política, ele descreveu a vida cotidiana duma maneira justa, meiga, de vez em quando irônica, sempre forte, fugindo de qualquer sistema ou influência”, define.

     Mesmo com este foco no trivial, também é possível ver momentos solenes e de grande importância através das lentes de Sutkus. A série dedicada à visita do casal Jean Paul Sartre e Simone de Beauvoir a Lituânia pode ser vista especialmente em dez totens espalhados pelo jardim do Museu. Os textos do escritor francês que acompanham as peças são um atrativo a mais para o público.

Trajetória
     Nascido em 1939, Antanas Sutkus é fundador da Sociedade de Arte Fotográfica da Lituânia e já foi condecorado com prêmio da Associação Internacional de Fotografia Artística. Em 1976, ganhou o prêmio Michelangelo D’oro pelo trabalho “O Pioneiro” publicado na revista Sovetskoje Foto.

     Na época da publicação, Sutkus foi denunciado no Comitê Central do Partido Comunista da União Soviética sob alegação de que seu trabalho causava desordem social em razão do forte apelo psicológico. Depois desta censura Sutkus parou de publicar suas fotos e só voltou a revelá-las a partir 1990, após a dissolução da URSS.


-----------------------------------------

Antanas Sutkus - Um olhar Livre
Na Galeria Convergência do MAM
3 de outubro a 3 de novembro
Segunda a sexta, 9 às 18 h. Sábados, domingos e feriados, 13 às 18 h
Rua Benjamin Constant, 790 - Centro
(32) 3229-7650

www.museudeartemurilomendes.com.br