segunda-feira, 16 de novembro de 2015

Fotografia destacada - 7






---------------------------
O Rio Paraibuna em outubro de 2014,
de Carlos Alberto Romanelli



    Carlos Alberto Romanelli registrou esta belíssima imagem do rio da nossa aldeia em 2014, durante um dos nossos passeios fotográficos.


     Cem anos antes, um poeta escrevia:


Pelo Tejo Vai-se para o Mundo


O Tejo é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia,
Mas o Tejo não é mais belo que o rio que corre pela minha aldeia
Porque o Tejo não é o rio que corre pela minha aldeia.
O Tejo tem grandes navios
E navega nele ainda,
Para aqueles que vêem em tudo o que lá não está,
A memória das naus.
O Tejo desce de Espanha
E o Tejo entra no mar em Portugal.
Toda a gente sabe isso.
Mas poucos sabem qual é o rio da minha aldeia
E para onde ele vai
E donde ele vem.
E por isso porque pertence a menos gente,
É mais livre e maior o rio da minha aldeia.
Pelo Tejo vai-se para o Mundo.
Para além do Tejo há a América
E a fortuna daqueles que a encontram.
Ninguém nunca pensou no que há para além
Do rio da minha aldeia.
O rio da minha aldeia não faz pensar em nada.
Quem está ao pé dele está só ao pé dele.

Alberto Caeiro, in "O Guardador de Rebanhos - Poema XX"
Heterônimo de Fernando Pessoa


     Nossa série aqui no blog apresenta fotos escolhidas.

     São na maioria de fotógrafos da cidade ou que fotografem a cidade, mas não haverá regra ou critério fixos, valendo mais agradar ao olhar.


Veja também e acompanhe