sexta-feira, 29 de novembro de 2013

Poeira do chão de Minas





     Uma das oito exposições em cartaz em Juiz de Fora neste fim de mês, e quase terminando (somente até 30/11!), é “Poeira e Porteira”, de Marco Zuchi.

     Em resumo, Minas Gerais e mineiros em palavras e imagens. A exposição resulta de uma viagem de sessenta dias, em que rodou cerca de 12 mil quilômetros, passando por 77 municípios. “Visitei todas as regiões de Minas, para que um pouco de cada mineiro estivesse presente nesta obra. São várias Minas dentro de uma, porém, um sentimento comum transpassa todas as regiões, tornando-a única”.

     Registrar a Minas rural clássica era um objetivo, mas Marco Zuchi encontrou uma realidade diferente daquela que esperava no início do projeto: o cenário do interior foi transformado pela luz elétrica, pela globalização. “Optei pelo registro da alma mineira: do tradicional, de uma roça resistente, de uma geração que busca manter as tradições e a forma antiga de cuidar das coisas, que não tem mais em seus filhos o interesse na manutenção de seus hábitos e cultura e se intitula a última geração a ver, viver e sentir a roça desta forma.”

     A mostra é composta de 75 imagens em preto e branco, em vários tamanhos. Na noite de abertura, foi também lançado um livro com as fotografias, como parte do projeto patrocinado pela Lei Estadual de Incentivo à Cultura. O livro pode ser encontrado no CCBM e nas livrarias Vozes (na Espírito Santo), Ca'Dore (no Braz Shopping) e Planet Music (na Av. Itamar Franco).

     Não é só uma exposição, há um projeto bem planejado e executado por trás da mostra final. Conceber um projeto de porte, executá-lo e produzir a exposição e o livro, e ainda obter os meios para tal, aprovando projeto na Lei Estadual não é trabalho de pouca monta. Portanto, parabéns ao fotógrafo pela realização artística e ao profissional pelo projeto e sua realização.

     E mais um merecido registro: a opção integral de Marco Zuchi pelo P & B.

-----------------------------------------
Na Galeria Arlindo Daibert do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM)
Até 30 de novembro 
Terça a sexta-feira, de 9h às 21h. Sábados e domingos, de 10h às 21h
Av. Getúlio Vargas, 200 (Centro)
3690-7051 / 3690-7052