segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Exposição "Simetria e Permanência" agora em São Paulo





     A exposição “Simetria e Permanência: A Arte na Fotografia de Alfredo Ferreira Lage”, do Museu Mariano Procópio, com fotografias de Alfredo Ferreira Lage, fundador do Museu, que esteve recentemente em Ouro Preto, no Museu da Inconfidência, agora, a partir de 15 de outubro, estará em São Paulo, no Salão Expositivo da Biblioteca Mário de Andrade.

     E em um momento interessante, porque ficará até 15 de dezembro e, neste período, a Biblioteca pretende passar a abrir durante 24 horas! Veja notícia da Folha de São Paulo,  "Biblioteca Mário de Andrade testa funcionamento 24 horas".

     A seguir, transcrevemos material do Museu e da Secretaria de Comunicação Social da PJF.

     Às 19 horas, antecedendo a abertura, será realizada uma mesa redonda sobre o “Fotoclubismo no Brasil”, com o curador da exposição, Pedro Vasquez, e a professora Helouise Costa, da Divisão de Pesquisa, Teoria e Crítica do Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo (USP).

      As imagens revelam o interesse do fotógrafo amador, especialmente pelo registro das paisagens, como composições bucólicas e cenas rurais, aspectos da fauna e flora mineira, a curva do Rio Paraibuna, vistas dos arredores de Juiz de Fora, de Poços de Caldas, Caxambu, Lambari e Belo Horizonte. Um exemplo da valorização da arte fotográfica é a imagem alegórica “Nouvelles de l’Absent”, mostrando uma jovem, de costas, lendo uma carta, segundo o gosto romântico da época. Como fotógrafo, obteve reconhecimento no seu tempo, com vários trabalhos premiados com medalha de ouro, como na Exposição Nacional de 1908, no Rio de Janeiro, e na Exposição Internacional de Turim, em 1911.

Educado na arte pictorialista, Alfredo Ferreira Lage atuou na difusão e valorização da fotografia, sendo considerado precursor do fotoclubismo no Brasil. Em 1903 fundou e presidiu o Photo Club do Rio de Janeiro, junto com Sylvio Bevilacqua, Barroso Neto e Guerra Duval, instituição que tinha, entre seus objetivos, a criação de um Museu de Documentos Fotográficos. A exposição, coordenada pela Expomus, tem o patrocínio da Petrobras e é promovida pela Fundação Museu Mariano Procópio, em parceria com a Biblioteca Mário de Andrade.


Alfredo Ferreira Lage

Nascido em 1865, em Juiz de Fora, Alfredo Ferreira Lage é filho do comendador Mariano Procópio Ferreira Lage (1821-1872), importante político e empreendedor do Império, que idealizou e construiu, por concessão, a “União e Indústria”, primeira rodovia macadamizada da América Latina. Alfredo foi educado na Europa e retornou ao Brasil para estudar Direito, pela Faculdade de Direito do Largo de São Francisco, em São Paulo, formando-se na turma de 1890.
 
Começou a fotografar no final do século 19, durante viagem à cidade mineira de Lambari. Foi sócio de empreendimentos comerciais, agrícolas, industriais e educativos, alem de ter sido vereador na cidade onde nasceu e onde fundou o Teatro Juiz de Fora e dirigiu o jornal “O Pharol”.

Em 1915 abriu à visitação sua coleção como museu particular, fundando, oficialmente, em 1921, o Museu Mariano Procópio. No ano seguinte inaugurou um anexo, especialmente construído para ser a Galeria de Belas Artes, com apoio institucional do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, do qual se tornou membro, posteriormente. Em 1936, Alfredo fez a doação do Museu Mariano Procópio para o município de Juiz de Fora e, para zelar pela instituição, criou o Conselho de Amigos do Museu. Morreu no Rio de Janeiro, aos 79 anos de idade.

Serviço
“Simetria e Permanência: A Arte na Fotografia de Alfredo Ferreira Lage”
Data: de 16 de outubro a 15 de dezembro de 2015
Segunda a sexta-feira: de 9 às 19 horas
Sábados: de 9 às 17 horas
Entrada gratuita.

Biblioteca Mário de Andrade
Rua da Consolação, 94 – Centro – São Paulo/SP
Salão Expositivo – 3º andar
Tel: (11) 3775-0002

Ficha técnica
Realização e produção: Fundação Museu Mariano Procópio
Coordenação: Expomus – Exposições, Museus, Projetos Culturais
Coordenação de conteúdo: Douglas Fasolato
Curadoria: Pedro Afonso Vasquez
Expografia e comunicação visual: BUMMUB