terça-feira, 16 de agosto de 2011

FOTO11: registros e tributos

Humberto Nicoline
Jorge Couri em julho / 2011

     Em texto particularmente feliz - que transcrevemos a seguir -, em que apresenta a exposição "Tributo a Jorge Couri", Toninho Dutra, Superintendente da Funalfa e coordenador do Projeto FOTO11, fala de seu trabalho de organização da exposição, dizendo também de sua aproximação com o fotógrafo e de outras percepções sobre a fotografia em JF. O que fala, por outras linhas, da própria experiência de organizar uma mostra e do FOTO 11.

     Veja a cobertura da exposição: FOTO11 abre com "Tributo a Jorge Couri'


Um tributo a Jorge Couri, uma homenagem a Juiz de Fora
Por sugestão dos historiadores Elione Silva Guimarães e Antônio Henrique Lacerda, do Arquivo Histórico de Juiz de Fora, tomei contato com o acervo de fotos dos Diários Mercantil e da Tarde e, em especial, com as fotos do senhor Jorge Couri. Minhas referências sobre o fotógrafo eram limitadas. Mas eles me abriram caixas e caixas de negativos e de fotos reveladas e me apresentaram um conjunto de imagem que me embaralhou a vista. Para onde olhar? E com qual olhar? Aquilo era um caleidoscópio em preto e branco, girando sobre Juiz de Fora e se misturando com as imagens de minhas próprias memórias.
As imagens encheram-me de encanto e admiração. Em sua maioria, são narrativas sintetizadas nos instantes mágicos da abertura ao fechamento do diafragma de uma máquina fotográfica hoje já em desuso.
Por que Jorge?
Porque parte da história dessa cidade passou pelo filtro do olhar de Jorge Couri.
Porque suas fotos são geniais.
Porque trabalhou durante mais de 40 anos como repórter fotográfico dos Diários Associados.
Porque ajudou a registrar os desenhos arquitetônicos e políticos desta cidade.
Porque fotografou muito, e bem.
Porque ensinou o que sabia.
Porque formou e influenciou muitos dos fotógrafos que ainda hoje estão na ativa.
E por inúmeras outras razões que agora me fogem para aqui serem desfiladas.
Mas conheci Jorge. Conheci o senhor Jorge Couri e, mais uma vez, me encantei e me emocionei com suas histórias. Antes narradas pelas suas eficientes fotos; agora embaladas por sua voz de sabedoria, construída com trabalho e temperada pelo tempo. Dona Marilda, sua esposa, companheira de longa data, também ajudou a lembrar. Das imagens que projetei, retiraram lembranças e histórias com riqueza de detalhes. Conversas prazerosas.
A partir de nossos encontros, escolhi as imagens que apresento no projeto FOTO11, em catálogo e exposição.
Meu olhar recaiu sobre os cotidianos da cidade. Cidade múltipla e desconhecida para muitos. Aquelas cidades, variações de uma só, não existem mais, porém, estão prontas para se mostrarem nas fotos de nosso homenageado. Juiz de Fora única e plural.
E da grande e importante obra de Jorge Couri, pincei, com cuidado cirúrgico, as imagens que apresento. Transformando esse conjunto mínimo de um grande universo de imagens em um tributo a um homem que emprestou seu olhar privilegiado e suas mãos hábeis para fotografar, de todas as formas e de todos os ângulos, Juiz de Fora e sua gente (e toda ela). 

Antônio Dutra
Superintendente da Funalfa